About

Blogger news

Estou Lendo!

Visitantes!

Receba novidades no e-mail!

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

Snag a button


Parceiros

">Selo By Bruna Kitty

Meu Cantinho de leitura

Followers

About me

Minha foto
Professora de Matemática do Estado do RJ e do Município do Rio de Janeiro; tutora presencial do CEDERJ; pós-graduanda em Planejamento, Gestão e Implementação da EaD pela UFF.

terça-feira, 23 de junho de 2009

Apelidos

Estava pensando em quantos apelidos recebemos durante a nossa vida. Cada pessoa que conhecemos ou cada lugar onde vamos, seja lá onde estivermos, sempre vai ter alguém para nos chamar por algum nome incrivelmente estranho que nunca imaginamos.
Existem os apelidos clássicos, aqueles que as pessoas sem muita criativade e com mais noção das coisas vão usar, pois se é o que todo mundo te chama, não tem erro, não existe o risco de levar um baita 'fora'.
Existem os apelidos de família, aquele que sua mãe te chama, que deveria ficar ali entre vocês, mas que seu irmão escuta, que conta para o seu primo, que fala para sua tia, que conta para sua vó ... e quando você vê, já era, a família todo está te chamando por aquele apelidinho, que geralmente é vergonhoso. Caso do meu irmão Severino (ai, meu pai e seu gosto peculiar para nomes...) que é conhecido por todos como Bilú. Um homem enorme e barrigudo que se chama Bilú.
Existem os apelidos de escola, geralmente traumáticos, pois os amiguinhos do colégio são muito cruéis. Eles vão pegar aquela característica que você mais odeia, que você mais se envergonha de ter e vão te chamar assim pelo resto da vida. Até mesmo quando se encontrarem aos 40 anos de idade ele vai te chamar de 'bolinha', 'peitudo', 'mijão' e etc.
Existem os apelidos temporários, aqueles que você vai receber por ter feito, ou por ter acontecido, algo fora do normal em alguma situação. As pessoas vão te chamar assim por uma ou duas semanas e acabou. Nem vão lembrar mais do ocorrido...
E por último, mas não menos importantes, os apelidos imaginários. Ah, são os piores. Pois são aqueles que você nem sabe que tem, mas com certeza alguém pensa nele quando te encontra por aí, porém por educação e falta de coragem nunca vai te chamar assim. Bom, isso acontece comigo, acho que quase todas as pessoas que conheço têm apelidos imaginários, não por maldade, só que eu faço muitas associações. Por exemplo, tem um maluco que trabalha lá na xerox da facul que parece o Piu-Piu, toda vez que olho pra ele vejo o Piu-Piu, mas não tenho motivo nem intimidade pra chamar ele assim.
E por que eu falei em apelidos hoje?
É que tava pensando em uma família amiga da minha onde todas as pessoas têm apelidos e são chamadas por eles. Nada grave. Só que eu me dei conta que não sei o nome de ninguém, só os apelidos. Pessoas que conheço desde o dia que nasci, mas que não sei o nome... Que coisa.
E os apelidos são engraçados e sem sentido. Veja: Mãe - Nininha; Pai - Nanô; Filhos - Lula (é uma mulher), Suco (outra mulher e sim, é suco mesmo, não me pergunte o porquê), Ceiça (mais normalzinho), Póca e Néo. Ah, tem um filho normal, chamado Fabinho. O único que se livrou...
Eu mesma tenho vários apelidos. O clássico - Vivi; O clássico turbinado - ViviX (invenção minha, claro); Ane; Anerf (meu sobrinho depois que leu meu e-mail começou a me chamar assim...rs); Viva; Vick; Vi; Vívia; Vivinha; Vica; Biba (??? - coisas da minha mãe); Bibinha (mãe surtando mode ON); entre outros...
Também tenho a incrível mania de chamar as pessoas por vários apelidos diferentes. Meus sobrinhos que sofrem. Exemplos: Jadson - Jadinho, Dinho, Bibo, Bibinho, Bibensio, Bin, Bode, Bodão, Bodovsky, etc; Allan - xaxa, pipas, xá, e o mais novo, skimbó (kkkk).


Porém não tenho a criatividade que o Marcelo Tas (CQC) tem, ele inventa os apelidos mais legais para chamar as matérias dos meninos. Danilo (capeta em forma de guri) , Rafa (pudim de jiló, e etc), Oscar (pequeno pônei - clááássico) e Felipe (o crespo mais lisinho do Brasil) recebem um apelido novo a cada reportagem. Morro de rir. Adoro CQC.

Por hoje é só! Apenas uma passagem rápida por aqui para descontrair. É como dizem por aí: Nem só de posts cults viverá o homem ;-)


Um beijo, meu povo!

4 comentários:

  1. Aaai Vi (apelido de eu pra tu kk'), você como sempre fazendo a gente gargalhar. Sabia que não tinha pensado nesses negócios de apelidos? E olha que minha família é cheia deles. kk '. Eu fico com os clássicos: Lipe, Fe, Li. Eu até gosto, sabia? rs
    Grande beijo pra você, meu anjo.

    ResponderExcluir
  2. Você e seus apelidos estranhos... ainda bem que escapei dessa!!


    Bjão, (Vi²-4ac)!

    ResponderExcluir
  3. Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    aDoreiiiiiiiiiiiiiiiiii!!


    O meu apelidoo na escola era grilinho!!.......buabua...kkkk

    beijos"

    ResponderExcluir
  4. HAhaha..tempo que não leio o blog Vivi...mas essa dos apelidos tá ótima!!!
    DIego, Di

    ResponderExcluir

Dê o seu Palpite ;-)

terça-feira, 23 de junho de 2009

Apelidos

Estava pensando em quantos apelidos recebemos durante a nossa vida. Cada pessoa que conhecemos ou cada lugar onde vamos, seja lá onde estivermos, sempre vai ter alguém para nos chamar por algum nome incrivelmente estranho que nunca imaginamos.
Existem os apelidos clássicos, aqueles que as pessoas sem muita criativade e com mais noção das coisas vão usar, pois se é o que todo mundo te chama, não tem erro, não existe o risco de levar um baita 'fora'.
Existem os apelidos de família, aquele que sua mãe te chama, que deveria ficar ali entre vocês, mas que seu irmão escuta, que conta para o seu primo, que fala para sua tia, que conta para sua vó ... e quando você vê, já era, a família todo está te chamando por aquele apelidinho, que geralmente é vergonhoso. Caso do meu irmão Severino (ai, meu pai e seu gosto peculiar para nomes...) que é conhecido por todos como Bilú. Um homem enorme e barrigudo que se chama Bilú.
Existem os apelidos de escola, geralmente traumáticos, pois os amiguinhos do colégio são muito cruéis. Eles vão pegar aquela característica que você mais odeia, que você mais se envergonha de ter e vão te chamar assim pelo resto da vida. Até mesmo quando se encontrarem aos 40 anos de idade ele vai te chamar de 'bolinha', 'peitudo', 'mijão' e etc.
Existem os apelidos temporários, aqueles que você vai receber por ter feito, ou por ter acontecido, algo fora do normal em alguma situação. As pessoas vão te chamar assim por uma ou duas semanas e acabou. Nem vão lembrar mais do ocorrido...
E por último, mas não menos importantes, os apelidos imaginários. Ah, são os piores. Pois são aqueles que você nem sabe que tem, mas com certeza alguém pensa nele quando te encontra por aí, porém por educação e falta de coragem nunca vai te chamar assim. Bom, isso acontece comigo, acho que quase todas as pessoas que conheço têm apelidos imaginários, não por maldade, só que eu faço muitas associações. Por exemplo, tem um maluco que trabalha lá na xerox da facul que parece o Piu-Piu, toda vez que olho pra ele vejo o Piu-Piu, mas não tenho motivo nem intimidade pra chamar ele assim.
E por que eu falei em apelidos hoje?
É que tava pensando em uma família amiga da minha onde todas as pessoas têm apelidos e são chamadas por eles. Nada grave. Só que eu me dei conta que não sei o nome de ninguém, só os apelidos. Pessoas que conheço desde o dia que nasci, mas que não sei o nome... Que coisa.
E os apelidos são engraçados e sem sentido. Veja: Mãe - Nininha; Pai - Nanô; Filhos - Lula (é uma mulher), Suco (outra mulher e sim, é suco mesmo, não me pergunte o porquê), Ceiça (mais normalzinho), Póca e Néo. Ah, tem um filho normal, chamado Fabinho. O único que se livrou...
Eu mesma tenho vários apelidos. O clássico - Vivi; O clássico turbinado - ViviX (invenção minha, claro); Ane; Anerf (meu sobrinho depois que leu meu e-mail começou a me chamar assim...rs); Viva; Vick; Vi; Vívia; Vivinha; Vica; Biba (??? - coisas da minha mãe); Bibinha (mãe surtando mode ON); entre outros...
Também tenho a incrível mania de chamar as pessoas por vários apelidos diferentes. Meus sobrinhos que sofrem. Exemplos: Jadson - Jadinho, Dinho, Bibo, Bibinho, Bibensio, Bin, Bode, Bodão, Bodovsky, etc; Allan - xaxa, pipas, xá, e o mais novo, skimbó (kkkk).


Porém não tenho a criatividade que o Marcelo Tas (CQC) tem, ele inventa os apelidos mais legais para chamar as matérias dos meninos. Danilo (capeta em forma de guri) , Rafa (pudim de jiló, e etc), Oscar (pequeno pônei - clááássico) e Felipe (o crespo mais lisinho do Brasil) recebem um apelido novo a cada reportagem. Morro de rir. Adoro CQC.

Por hoje é só! Apenas uma passagem rápida por aqui para descontrair. É como dizem por aí: Nem só de posts cults viverá o homem ;-)


Um beijo, meu povo!

4 comentários:

  1. Aaai Vi (apelido de eu pra tu kk'), você como sempre fazendo a gente gargalhar. Sabia que não tinha pensado nesses negócios de apelidos? E olha que minha família é cheia deles. kk '. Eu fico com os clássicos: Lipe, Fe, Li. Eu até gosto, sabia? rs
    Grande beijo pra você, meu anjo.

    ResponderExcluir
  2. Você e seus apelidos estranhos... ainda bem que escapei dessa!!


    Bjão, (Vi²-4ac)!

    ResponderExcluir
  3. Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    aDoreiiiiiiiiiiiiiiiiii!!


    O meu apelidoo na escola era grilinho!!.......buabua...kkkk

    beijos"

    ResponderExcluir
  4. HAhaha..tempo que não leio o blog Vivi...mas essa dos apelidos tá ótima!!!
    DIego, Di

    ResponderExcluir

Dê o seu Palpite ;-)